Livro “IAMI OXORONGÁ: TRADIÇÃO E ANCESTRALIDADE”

Em 6 de janeiro de 2018 lancei meu primeiro livro. Finalizei uma década de pesquisas  que me proporcionaram um mestrado e alguns artigos publicados em anais e revistas. A dissertação e os artigos podem ser lidos gratuitamente aqui no site, na aba “PUBLICAÇÕES”. O conteúdo do livro  aborda implicações do culto à Iami  literatura brasileira e na querela política da abolição da escravatura no séc. XIX, temas que não foram trabalhados na dissertação.

Iami Oxorongá é o nome da ancestralidade coletiva e primordial que designa o feminino noturno, selvagem e conceptivo na mitologia e na cosmogonia iorubá. Alguns dos objetivos do livro são o estudo e a investigação dos conhecimentos reais sobre a concepção de Iami, sua venerabilidade e sua influência na prática do culto aos orixás. Bem como seus símbolos, suas celebrações e suas louvações. O tema da ancestralidade feminina de matriz africana envolve uma complexidade de significados históricos que dizem respeito não só ao continente africano e, no caso das Iami, não só à cultura iorubá. Todos os destinos da diáspora dessas populações foram transformados culturalmente através das manifestações e dos ensinamentos exercidos pelas matriarcas que ali se instalaram. compreensão do ressurgimento do culto no começo do século XXI, discorreu-se sobre o devir histórico e as transformações culturais (principalmente literárias, midiáticas e globalizantes) que proporcionaram o recente interesse religioso sobre os significados de Iami. A dissertação do mestrado concentrou-se no culto no âmbito do estado de Pernambuco, nordeste do Brasil; entretanto, este livro aborda o tema de forma ampla ao dar maior ênfase ao brando resgate do culto, não destacando apenas o ambiente pernambucano.

O lançamento foi no Museu da Abolição e teve uma mesa redonda sobre as Mães Feiticeiras com participação do Babalorixá Antônio Guido e da Drª Zuleica Dantas (prefaciante do livro).  Teve também um coquetel  de comidas afro-brasileiras e o lindo show do afoxé Oxum Pandá. Na ocasião, acontecia no Museu a exposição “Novos Objetos: Novas Coleções”, que expõe grande parte do acervo recebido em transferência da Receita Federal entre 2012 e 2017. São 70 obras entre esculturas, máscaras, telas e utensílios, que ocupam três salas do primeiro andar do casarão. Na exposição há máscaras originais usadas no festival Geledé para as Iami na Nigéria. Todas as fotos do lançamento podem ser vistas neste link: https://www.facebook.com/and.caselli/media_set?set=a.10212403718740944.1073741857.1020051749&type=3&pnref=story

Quem quiser adquirir o livro, ele está disponível para venda na Livraria Jaqueira por 30 reais.  Também pode ser comprado comigo, pois é só entrar em contato pelo meu e-mail: sirenithada@gmail.com que combinamos o depósito bancário e o envio do livro pelos correios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *